sábado, 30 de janeiro de 2010

VITIMAS DA IMPUNIDADE.

ERRO MÉDICO SERÁ INVESTIGADO EM MORTE DE JORNALISTA:
Brasília - O Ministério Público do Distrito Federal vai investigar a hipótese de que um erro médico provocou a morte da jornalista Lanusse Martins Barbosa, de 27 anos, que faleceu depois de se submeter a uma cirurgia estética. De acordo com a Promotoria de Defesa dos Usuários dos Serviços de Saúde (Pró-Vida), Lanusse sofreu uma hemorragia durante uma lipoaspiração ontem. Laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou a existência de perfuração de vasos (veias e artérias) pelas incisões feitas no corpo para retirada de gordura.
"O laudo reforça a suspeita de erro médico",
apontou Diaulas Ribeiro, que avalia denunciar os dois médicos que conduziram a operação - cirurgião e anestesista - por homicídio culposo, sem intenção de matar, ou doloso. Com base no laudo, o promotor descartou que a causa da morte tenha sido uma embolia, efeito colateral inerente à lipoaspiração, fatalidade que eximiria os médicos de responsabilidade criminal. O hospital onde foi realizada a operação também poderá ser denunciado pelo promotor. Especializado em procedimentos oftalmológicos, a clínica alugava um espaço para médicos de outras especialidades. No entanto, não oferecia a retaguarda necessária, como uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou UTI móvel para remoções rápidas. Lanusse, segundo apurou o MP, contratou os médicos para uma lipoescultura no abdome e substituição de próteses mamárias, um procedimento considerado de média complexidade que não poderia ser realizado sem uma estrutura adequada. A Polícia Civil, a pedido de Diaulas, abriu um inquérito para apurar o caso e nos próximos dias deve tomar o depoimento dos médicos e responsáveis pela clínica. "Estamos trabalhado em parceria com a polícia. Também pedi ao Conselho Regional de Medicina (CRM-DF) que apure no plano que lhe compete o procedimento do cirurgião responsável.(Fonte: BOL)//.
CPI-BRASIL.COM(Comentário):
A má formação de profissionais geradas pelas proliferação de universidades encontradas nas esquinas do país, onde seus proprietários teem como finalidade precípua o enriquecimento a todo custo, alavancado pela ineficiencia do Estado brasileiro, pois o Ministério da EDUCAÇÃO não fiscaliza, não pune e o que é pior: fornece a devida aptidão para os cursos que, escudados na certeza da impunidade vigente no país e somados a lentidão que atua o poder judiciario, levam ao ceifamento inconteste de vidas humanas, a cada dia em maior número. O dito médico/ciriurgião, promoveu verdadeira carnificina no corpo da jornalista. Êstes são os profissinais da saúde, que o presidente Lula tanto se orgulha.

3 comentários:

angela disse...

É assustadora a situação de descuido que a gente ve em certos locais.
abraços

TRIBUNA-BRASIL.COM disse...

Olá TURMA. O "MAROLINHA" enfatiza a "saúde" e os programas sociais, mas na hora do 'vamos ver'vai é para hospital PARTICULAR. Pimenta nos olhos dos outros é refresco. QUEM TEM. TEM MEDO! (O INDIGNADO)

Deficiente Ciente disse...

Concordo plenamente!
Abre-se "universidades" em qualquer lugar, sem nenhuma ficalização por parte do Ministério da Educação. E de lá, provavelmente, sairão profissionais irresponsáveis e negligentes.

O pior de tudo isso é que a grande maioria desses formandos, irão trabalhar em hospitais públicos. Ou seja, vão cuidar da saúde de um povo já tão sofrido e oprimido.

Abraços,
Vera