sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

GVT: SÓ TEM INTERESSE POR BAIRROS NOBRES


Em plena era da globalização, onde a livre negociação e a concorrência torna-se acirrada dia-a-dia. Onde as empresas e prestadores de serviços, buscam cada vez mais ampliar e melhorar seus produtos, buscando o chamado top de linha, com o objetivo de ter o maior número de clientes e satisfeitos. Onde a corrida para chegar ao primeiro lugar, ou seja: o tôpo da "pirâmide" é o alvo. É inadmissível qualquer coisa em contrário. Com apenas 5 meses de atuação na Bahia, apresentando somente 2 (dois) produtos: acesso à internet e telefonia fixa, A GVT chega ao mercado baiano, na contra-mão do bom-senso. Segundo conseguimos apurar, a empresa não tem o menor interesse pelos bairros considerados populares. Vários são os "armários" (pequenas centrais de distribuição de linhas), que não são liberados, em virtude do "baixo poder aquisitivo". A isto chamamos discriminação financeira. Também considerada crime. Se realmente for este o pensamento empresarial do seu quadro diretivo, seus concorrentes são os primeiros a aplaudir. Não precisarão se preocupar, pois trata-se de uma empresa de 3º(terceiro) mundo. Esquece-se também, que é de grão em grão, que enche-se o papo. Quem não tem competência, não se estabelece. Credibilidade e confiança, não se compram. Conquista-se.(Por Roy Lacerda)

Um comentário:

Fernando disse...

muito bem explicado, trabalhei prestando serviço a GVT, e os bairros mais pobres e favelas não serão atendidos pelo progeto da GVT, eles chamam de "sombra" os bairros pobres e favelas de salvador. eu ví o projeto e posso afirmar que realmente os bairros pobres não terão GVT

Fernando Spínola Neto