domingo, 26 de julho de 2009

O ABORTO QUE A MÃE NÃO PERMITIU.

Esta é a parte inicial da matéria publicada:
Lurian com meninos atendidos em sua secretaria, em São José. Lurian ri por último. Vinte anos depois de ser arrastada para o turbilhão eleitoral de 1989, Lurian, filha de Lula, vira autoridade e tem portas abertas em Brasília. Há 20 anos, Lurian Cordeiro Lula da Silva viu a mãe, Miriam, surgir na televisão e afirmar que seu pai, Lula, "me ofereceu dinheiro para abortar". Numa cena financiada e levada ao ar por Fernando Collor de Mello, que disputava a Presidência, Miriam contou ainda que, depois do parto, entregou a filha "no colo" de Lula e disse: "Agora, você mata". A imagem teve impacto histórico. O pai de Lurian perdeu a eleição. Em 1989, ela tinha 15 anos. Há alguns dias, ela recebeu a coluna em São José, cidade de 205 mil habitantes, vizinha de Florianópolis (SC). Lurian tem agora 35 anos. Há seis meses, assumiu o cargo de secretária de Assistência Social do município. Comanda 67 funcionários e um orçamento de R$ 4 milhões. Por razões de segurança, a filha do presidente da República, o marido e os dois filhos têm sempre seis carros blindados à disposição e 12 policiais em sua cola. Na semana passada, Lurian viajou a Brasília. Foi recebida pelos ministros Patrus Ananias, do Desenvolvimento Social, e Carlos Lupi, do Trabalho. "Um jornalista já me propôs: "Lurian, vamos escrever um livro [sobre 1989]". Mas o que eu tenho para falar sobre aquilo? Nada. Eles falam: "É um marco na sua vida". Não. O marco na minha vida é o dia 8 de março de 1974, quando eu nasci. Você não acha?" pergunta ela num almoço no bandejão de um centro de convenções de São José onde se realizava um encontro de assistentes sociais. Entre garfadas num prato de salada, arroz e iscas de frango empanado, ela fala sem parar -dos filhos, do marido, do pai. A filha mais velha, Maria Beatriz, 14, "é fã do Kaká". Quando soube que o avô receberia o jogador na Granja do Torto, em 2007, ligou para Lula. Disse que iria visitá-lo. "Bia, não tem nada a ver. O Kaká é casado!", bronqueou o presidente. "Louca por Cuba", a menina conheceu Fidel Castro no jantar da posse de Lula, no Palácio da Alvorada, em 2003. "Eu falei: "Bia, vamos grudar no Zé Dirceu pra falar com o Fidel"." Deu certo. A coluna mostra a Lurian a edição da Folha daquele dia. Na capa, uma foto de Lula abraçando Collor. Os dois se encontraram num comício em Alagoas e o presidente elogiou o antigo adversário. Lurian segura o jornal. "Jesus...", diz. Observa a imagem por um tempo. "Mas ele não está rindo para o Collor não, gente. Ele está rindo pra alguém que está atrás dele. Pode ver!" O filho, João Gabriel, 4, espia a cena. "Quem é este?" "Bisavô", diz o menino. "Vovô! Vovô!", corrige a mãe. Collor está com a mão sobre os ombros do petista. "Contanto que não coloque a mão no meu ombro, tá bom!", brinca ela. "Eu falei: "Ai, pai!" [quando Lula se encontrou outras vezes com Collor]. Porque tem que ter estômago. E ele falou: "Lurian, não fui eu que elegi ele. Foi o povo de Alagoas, filha. Eu tenho que receber".(Fonte:Monica Bergamo/folhasp@.com.br)//./
MOMENTOBRASILCOM.COM(comentário):
Estamos colocando esta notícia para ilustrar e confirmar: inimigos mortais ontem, amigos fraternos, hoje. E que os leitores analisem e comentem.

3 comentários:

angela disse...

Oi Roy
cara de pau é que não falta e as pessoas acreditam no que querem. É tão facil iludir que gosta da gente e é ai que se ve o carater da pessoa.
beijo

Thaís Gomes disse...

Olá! Sem querer por panos quentes, essa é a parte mais trivial e light da política. Isso não delineia o carácter de Lulinha. Há coisas mais graves...ôh se há!!!

Bom, vim aqui agradecer a visita e seu interesse na minha visão de Mundo! Espero que sinta-se em casa! Meu blog, mais do que meu, é de quem quer ver coisas diferentes acontecerem. Se quiser me mande seu e-mail e participe dos bastidores do MeuMundo. Seja muito bem vindo!

Abraço

Thaís Gomes
http://omundobythais.blogspot.com

Maria Aparecida disse...

Sabe de uma coisa? aquela foto com os dois com cara de prostitutas de beira de cais me embrulhou o estômago. O imperador parece até mulher de cafetão. Apanha, leva bolachas por todo o lado e depois por qualquer bijouteria vagabunda de de camelô se desculpa:
Ele me bateu por que estava muito nervoso, mas ele me ama!