sexta-feira, 6 de novembro de 2009

CORRENDO ATRÁS!

Lula assume negociações sobre reajuste das aposentadorias superiores a mínimo:
Na tentativa de evitar um desgaste para o governo às vésperas de ano eleitoral, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu assumir a negociação sobre o reajuste das aposentadorias acima do salário mínimo. O presidente convocou uma reunião para a próxima segunda-feira com as lideranças do governo no Congresso e o ministro José Pimentel (Previdência) em São Paulo. Na última quarta-feira, a base aliada usou a estratégia de manter a pauta da Câmara trancada por medida provisória e assim impedir a votação do projeto que concede para todos os beneficiários do INSS o mesmo reajuste do salário mínimo. Depois de driblar a pressão dos aposentados que lotaram a galeria do plenário reivindicando a votação da proposta, agora o governo precisa apresentar uma proposta alternativa às centrais sindicais e representantes dos aposentados e pensionistas. A intenção é organizar os líderes dos partidos aliados para retirar do projeto a emenda que equipara os benefícios do INSS acima do mínimo, transformando em destaque de plenário, para que a maioria governista consiga aprovar o texto de valorização do salário mínimo sem a polêmica dos aposentados. O reajuste das aposentadorias viria, então, por meio de MP (medida provisória) após novo acordo que está sendo costurado pelo presidente Lula junto aos sindicalistas e Ministério da Previdência. Os líderes governistas tentam minimizar o mal-estar com os aposentados e afirmam que o impacto do reajuste nas contas públicas é insustentável. 'Nós queremos votar este aumento real acima da inflação equivalente à metade do crescimento da economia. Não temos como votar neste ano um aumento igual ao salário mínimo. Queremos aumento real que é da metade do crescimento da economia. Ou seja, a economia cresceu 5%, vai ser 2,5%', disse o líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS). Segundo reportagem da Folha publicada nesta sexta-feira, o aumento real para os benefícios acima do salário mínimo --pela regra de 50% da variação do PIB de dois anos antes-- deverá gerar um custo adicional de R$ 3 bilhões no Orçamento de 2010, cerca de um terço dos gastos com o Bolsa Família neste ano. O aumento (incluindo a inflação) em 2010 ficaria próximo de 6% e beneficiará 8,2 milhões de aposentados e pensionistas. Para 2011, no entanto, a mesma regra deverá garantir reajuste real próximo de zero, já que o PIB a ser aplicado será o deste ano, e as projeções flutuam em torno de 1%. Como os aposentados levariam só a metade da variação do PIB, o aumento acima da inflação no primeiro ano do próximo governo seria equivalente a 0,5%.//(Fonte: Márcio Falcão/FOLHA)//.
CPI-BRASIL.COM(Comentário):
Governo e aliados fazem confusão, criam tumultos e usam todos os métodos para criar MPs, com o único propósito de colocar o presidente Lula em evidência ao assiná-las tentando iludir o povo, quando não precisariam utilizar deste artifício. Bastaria entrar em votação e aprová-las sem maiores alardes. Moral da história: Fingi-se que brigam. Tudo armação pura.

2 comentários:

angela disse...

Tem sentido esse raciocinio feito por vocês.
abraços

PSICO? LÓGICO! disse...

Olá! Que bom que você me fez uma visita...Dessa forma cheguei aqui no seu blog!! E confesso que gostei do que ví. Espero trocarmos muitas informações a partir de agora!

um abraço!